A Constelação Familiar Sistêmica é uma abordagem filosófica e terapêutica que foi desenvolvida pelo psicoterapeuta alemão Bert Hellinger.  

A Constelação revela dinâmicas inconscientes relacionadas à nossa história pessoal e familiar que podem atuar como âncoras limitantes em diferentes esferas da vida, trazendo dificuldades e bloqueios relacionais, financeiros, de saúde, carreira etc.

Em uma sessão individual é definido um tema central de trabalho, representado com bonecos ou ancoras simbólicas. A partir dessa representação e de percepções corporais como sensações físicas e sentimentos, são reveladas dinâmicas que permitem o acesso a tais padrões inconscientes para ressignificá-los à luz das três leis que regem as relações humanas e os sistemas: pertencimento, hieraquia e troca. Quando alinhadas, permitem o emergir de um novo fluxo tanto no nível individual, quanto sistêmico (familiar ou organizacional).

Recentemente, a Constelação Familiar foi adotada pelo SUS como prática complementar em saúde. A Organização Mundial da Saúde, vinculada à Organização das Nações Unidas (ONU), também reconheceu terapias como Constelação Familiar como prática complementar em saúde.